Meus Contos Eróticos » Gay » Comi o irmão gay de minha esposa e descobri um prazer incrível

Comi o irmão gay de minha esposa e descobri um prazer incrível

  • março 21, 2019
  • 4436 views

Eu era casado e minha esposa tinha um irmãozinho de 18 aninhos, sempre que ele tinha algum feriado ou férias minha esposa chamava o irmão dela pra ficar alguns dias em casa, nas férias ele ficava até mais de uma semana e eu odiava, ele mexia nas minhas coisas, falava pra cacete e passava o dia todo jogando video-game foi numa dessas férias que algo muito diferente aconteceu….

Minha esposa trabalhava em horário comercial e de noite ela tinha cursinho das 18 às 21:30, e eu trabalhava por escala, então nos dias que eu tava em casa de noite tinha que aturar o meu cunhado, o irmão dela… Num desses dias minha esposa saiu pra estudar as 20. E eu fiquei ali jogando vídeo game com ele, jogamos por uma meia hora até ele abrir a boca.

– Danilo posso te fazer uma pergunta?

– Faça

– Jura que não vai contar para Mari?

Olhei pra ele com cara de surpresa, pq ele nunca havia me imposto essa condição pra falar suas besteiras, fiquei curioso e falei pra ele prosseguir então ele perguntou

– qual o tamanho do seu pau?

Não contive a risada e respondi que não sabia, nunca havia medido. Entendi que essa era uma dúvida normal de moleque de 18 anos , mas  continuei meu jogo. Mas ele insistiu.

– mostra o tamanho com a mão!

Falou fazendo um gesto com as duas mãos demostrando o tamanho de um pau tentando me explicar como fazer.
Fiquei meio sem graça, mas entendendo a curiosidade dele resolvi colaborar, larguei o controle e fiz com as mãos um pau mediano, uns 14 a 19 cms eu acho.
Ele fez cara de pouco Caso e falou que imaginava que seria maior pra minha idade. Dei risada e desaprovando sua observação perguntei qual tamanho seria o dele, então ele fez um gesto de um pau pouca coisa menor que o meu. Dei risada e duvidando disse que o pau dele não seria daquele tamanho pra sua idade, que estava exagerando…
Então ele falou:

– mostra o seu então que eu mostro o meu!

Naquele momento comecei a sentir algo muito estranho, tesão, nunca senti isso por homem, muito menos por parente, mas não sei, acho que a ocasião, a proibição, a naturalidade como tava acontecendo, essas coisas me deixaram meio excitado e curioso pra saber até onde aquele moleque queria ir, a partir daí comecei a dar corda. Respondi.

– cara, se o seu pau tiver mesmo o tamanho que vc falou que tem, eu mostro o meu…

Ele fez uma cara de envergonhado e disse que me mostraria se eu prometesse que nunca, jamais contaria nada pra Mari.

Pausei o game, larguei o controle no sofá, cruzei os braços olhando pra ele e desafiei respondi que prometia.
Então ele começou a puxar a calça pra baixo, meu coração acelerou, e de repente saltou pra fora causando duas surpresas, primeiro seu pau realmente era do tamanho que ele tinha falado, e segundo estava duro como uma vara. Meu pau na hora ficou duro nas calças e eu tava tomado pelo tesão. Imediatamente ele puxou a calça pra cima de novo guardando seu pau e cobrando que eu mostrasse o meu. Respondi de maneira muito maliciosa.

– pode vir aqui tirar ele pra fora.

Ele riu dizendo que ele tinha tirado o dele pra fora sozinho. Respondi que se ele quisesse ver tudo bem, mas que ele teria que tirar ele pra fora das minhas calças. Meu objetivo era forçar ele a tocar no meu pau, e eu tinha certeza que ele tb queria….

Meio sem jeito se aproximou, levantou minha camisa, desvencilhou meu cinto, desabotoou a calça e abriu o ziper dando acesso A minha cueca que exibia o formato do meu pau duro, evitando tocar no meu pau ele puxou a cueca pra baixo até ver meu pau inteiro, fiquei olhando pra sua cara pra curtir suas expressões, seus olhos brilhavam vendo aquele pau adulto, até parecia que ele estava imaginando se conseguiria colocar ele inteiro na bunda.

Deixei ele ali alguns segundos admirando meu pau duro então interrompi puxando minha calça e dizendo.

– chega né!

Ele voltou pulando e dando risada pro seu lugar no sofá. Peguei meu controle, tirei o pause do jogo torcendo pra ele tomar outra iniciativa pra putaria continuar. Pois até então estava considerando que até ali poderia ser apenas curiosidade, mas em alguns segundos descobri que não era quando ele me assustou com a pergunta.

– vc já fez boquete?

Respondi pasmo.

– em homem? Não! Vc já?

Rindo sem jeito ele indagou.

– se eu responder promete não contar pra  Minha irmã?

– pia, não precisa ficar perguntando isso, óbvio que não vou contar nada pra sua irmã de nada que acontecer ou vc falar aqui, se não vou me foder tb né!

Então ele respondeu sem jeito.

– já!

Tentei demonstrar aprovação pra ele se sentir a vontade e me contar tudo perguntando.

– sério? Em quem!?

– no meu vizinho, o Ricardo.

Logo lembrei do seu vizinho  que vivia em sua casa que ficava em outra cidade próxima, vi ele algumas vezes que fui lá.  Ricardo era um pouco maior que Gabriel, o irmãozinho da minha esposa, pensei nas putarias que esses dois deviam fazer e já tava morrendo de tesão.

– e como é? É bom?

– ah é legal, se vc quiser fazer em mim eu deixo!

Respondeu de maneira maliciosa, logo entrei no jogo dizendo.

– eu não sei fazer, vc que já fez podia me mostrar né.
– quer que eu faça em vc primeiro pra vc ver como é?
– sim!
– mas vc tem que prometer que vai fazer em mim tb depois também!

Sinceramente eu não via a hora de provar o pau dele, mas queria que ele fizesse em mim primeiro pro jogo ser mais interessante. Ele se aproximou, abriu minha calça de novo, dessa vez segurou meu pau com uma mão, abriu a boca e abocanhou meu cacete que mal coube na sua boca, um frio subiu na espinha e eu nem acreditava que aquilo tava acontecendo, ele desceu e subiu só umas 5 vezes, largou meu pau babado e saiu pulando e rindo pro seu lugar no sofá, uma mistura de frustração e tesão tomaram conta de mim e protestei.

– só isso?
Ele respondeu rindo.

– agora é sua vez.

Nem questionei pq na realidade eu queria chupar ele ainda mais do que ser chupado, fui até ele que já foi abaixando as calças, mas falei pra ele tirar a calça toda, eu queria fazer bonito, chupar gostoso o pau dele, então ajoelhei na frente dele que estava sentado no sofá, abri um pouco suas pernas pra que eu ficasse no meio delas, segurei seu pau com a mão direita, dei uma leve cheirada no seu pau que tinha cheiro familiar, abri a boca e coloquei quase seu pau inteiro dentro, confesso que não cabia ele inteirinho mas ficava muito pouco pra fora, comecei a chupar o pau dele como uma puta, eu me sentia uma garota e ficava imaginando que aquele tamanho era o ideal pra me comer gostoso e não me arrebentar, sim, já estava louco pra ver como era dar o cu.

Fiquei ali chupando e aproveitando aquele pau por alguns instantes, tirei ele da boca e tocando uma punheta olhei pra cara dele e perguntei.
– e aí? To fazendo direito?

Ele sorrindo com cara de satisfeito apenas disse.

– uhum!

Tirei a língua pra fora, bati com o pau dele três vezes na minha língua e voltei a chupar deliciosamente, eu tava adorando. Então eu disse.

– acho que tô fazendo melhor que vc né, vc fez só um pouquinho e parou!

Ele respondeu.

– se vc quiser eu faço em vc de novo.

– quero, mas quero que faça bem feito.

Como ele estava com as pernas entre abertas e eu estava no meio, abri um pouco sua bunda com os dedos vendo um pedacinho do seu cuzinho e comecei uma conversa enquanto tocava uma punheta bem devagar pra ele.

– e esse cuzinho, vc já deu?

– algumas vezes.
– é bom?
– dói um pouco mas depois acostuma, é legal….
– será que vc aguenta o meu pau?
– ah não sei, o seu é maior que o do Gabriel….
– vc comia o Gabriel tb?
– tentei uma vez mas não deu, ele disse que não consegue pq dói de mais.
– quer tentar comer meu cu? Acho que aguento seu pau.
– ah se vc quiser me dar eu como sim!

Ele respondeu todo feliz! Olhei para o relógio e eram quase 20, minha mulher sairia as 21:30 do cursinho, chegaria as 22:00 em casa, fiz todo o planejamento pra não ter erro, falei pra ele tirar toda a roupa e deixar tudo no banheiro, caso ela por algum motivo voltasse mais cedo a gente ouviria o barulho dela destrancando o portão lá na frente, era só ele correr pro banheiro e entrar no banho e ficar lá. Eu iria vestir um shorts, despausar o jogo e fingir que tava jogando. Logo ele e eu estávamos completamente sem roupa e tudo em seu devido lugar, levei ele até meu quarto e passei o lubrificante KY que eu usava pra fazer anal na minha esposa no pau dele, voltamos pra sala e fiquei de quatro no sofá empinando o máximo que podia a bunda pra ele ter acesso fácil ao meu rabo, ele de pé atrás de mim riu dizendo que eu era peludo, respondi.

– claro sou macho de verdade…

Então ele se aproximou e pela primeira vez na vida senti um pau encostar no meu cu, fiquei ali firme e ele foi empurrando rápido de mais, empurrei o quadril dele com a mão dizendo.

– calma pow! Não enfia rápido assim que dói! Vem beeem devagar se não, não vai dar certo….

Ele obedeceu e dessa vez começou a empurrar devagar, mesmo assim mantive minha mão no seu quadril pra garantir, logo senti seu pau vencendo a resistência do meu rabo e meu cu começou a abrir, sentia vontade de rir de tão nova a sensação mas Estava com muito tesão, meu pau latejava de duro! As vezes eu precisava segurar o quadril dele com a mão por causa da ansiosidade do garoto em me enrabar, senti que havia entrada pelo menos quase até a metade, já fui percebendo que toda vez que eu trancava doia, o segredo era relaxar o cu assim vinha gostoso, em determinado momento ele começou a socar devagar mais logo interrompi com a mão dizendo.

– não! Enfia ele todo, Até a barriga encostar na minha bunda.

Dessa vez ao invés de empurrar, puxei de vagar o quadril dele em minha direção, fui sentindo aos poucos todo seu cacete entrando no meu anus até sua barriga encostar em mim, então puxei seu quadril ainda mais pra garantir que tudo tinha entrado e ainda dei uma mexida na bunda pra ajeitar, falei pra ele segurar ali daquele jeito por alguns instantes pro meu cu se acostumar com seu pau.

Depois de alguns segundos aguardando pacientemente, eu autorizei ele a começar a socar no meu cu bem de vagar, tirei minha mão no quadril e coloquei os dois braços na cabeceira do sofá pra curtir aquela enrabada. Então ele começou um vai e vem bem gostoso e gentil, dava pra ouvir o barulho do lubrificante no atrito do seu pau no meu cu, olhei por baixo e vi meu cacete duro como uma rocha, pendurado em meu corpo e logo atrás dele os ovos do meu cunhado indo pra frente e pra trás, batendo no meu saco.

Inclinei pra direita pra olhar pra sua cara me comendo, queria ver seu corpo fazendo os movimentos enquanto sentia seu pau na minha bunda, Orientei ele a segurar minha cintura com as duas mãos com força, então ele agarrou minha cintura e começou a acelerar a foda, eu tava me sentindo uma piranha sendo comida de quatro, a essa altura ele não ria mais, não via mais graça, estava olhando pra baixo, apreciando seu pau entrando e saindo do meu cu, com os olhos e boca entreabertos, ofegante… foi uma sensação maravilhosa mas eu queria provar todas as posições que podia, a brincadeira ainda tava começando.

Gabriel era um Gay experiente mas nunca tinha comido uma bunda, eu tinha comido várias bundas mas nunca tinha dado a minha… Mesmo assim àquela altura nós dois já tínhamos pegado o jeito.

Ele estava atrás de mim, me enrabando de quatro, segurando com as duas mãos minha cintura e já estava socando com força, seu quadril batendo em minha bunda fazia aquele barulho típico, meu pau duro chacoalhada pendurado no corpo e de tanto tesão esse estímulo era quase uma masturbação.

Levei meu braço pra trás e segurei sua mão direita na minha cintura e o outro continuou apoiado sobre a cabeceira do sofá, quando percebi estava até gemendo de olhos fechados. Suas socadas ficavam me empurrando pra frente e eu estava sentindo como era ser uma mulher no sexo… ainda ali eu decidi que EU queria fazer ele gozar estando por cima, mas antes queria provar outra posição.

Pedi pra ele parar e irmos pro quarto de visitas onde ele estava alojado. Mas antes Peguei ele pela mão e fomos de mãos dadas até meu quarto e de novo lambusei o pau dele com mais lubrificante KY, ele perguntou.

– vc não vai me comer agora?

Essa pergunta quase me fez gozar só de ouvir, queria muito comer ele também, fazer um troca troca gostoso, mas expliquei que sua irmã chegaria muito em breve, não poderia correr o risco de ficar com o cheiro dele, mas que amanhã ela sairia cedo de casa e como eu estaria de folga seria mais tranquilo, mas queria que ele me chupasse gostoso agora. Levei ele até o quarto dele e eu deitei na cama, ele de pé mesmo, fora da cama pegou meu pau e começou a chupar com uma vontade imensa! Descia e subia segurando meu pau com uma mão e a outra se apoiando no colchão, pensei comigo, este garoto ja deve ter chupado muito o Ricardinho, pois ele fazia sem dever nada pra uma mulher adulta, eu estava tão excitado que logo senti aquele frio subindo pela espinha e pedi pra ele parar se não iria gozar. Eu precisava gozar junto com ele, pois já sabia que assim que eu gozasse, me arrependeria e a brincadeira ia acabar. Então na beira da cama abri bem as pernas, com a bunda virada pra fora da cama e disse.

– vai! come mais meu rabo!

Ele segurou seu pau com a mão e foi colocando no meu cu bem de vagar como ensinei da primeira vez mas logo falei.

– pode enfiar! Agora já ta tranquilo!

Então ele enfiou sem medo de machucar. Segurou as partes internas da minha coxa e começou a me comer, fiquei ali olhando minhas pernas abertas e o irmão de minha esposa comendo meu rabo todo sério, seu peito e barriga eram bem magrinhos, acho que por ser tão magro Gabriel tinha um pau maior que o normal pra sua idade.

Então fui mais pro meio da cama pra tentarmos um mamãe e papai, ele subiu na cama e encaixou, fechei minhas pernas nele e ele trouxe sua boca pra minha, nos beijamos, o beijo dele de início era bem estranho, mas não ruim, com certeza praticou com o Ricardo mas não teve um bom tutor, meio desajeitado mas tinha tesão.

 

Essa posição não colaborou, devido a diferença de tamanho e que eu tinha um cu e não uma buceta, seu pau não entrava todinho. Então falei pra ele deitar na cama, ajoelhado levei meu pau até a boca dele pra ele chupar mais um pouquinho, mas eu ja estava no meu limite, prestes a explodir….

Então passei minha perna por cima do seu colo, segurei seu pau com a mão e coloquei no meu rabo, sentei sem medo e ele entrou inteiro, fiquei com a coluna ereta e coloquei minhas duas mãos nas coxas, comecei a esfregar e rebolar pra frente e pra trás, como na esperança de achar mais algum milímetro de rola pra me invadir, enfiei tudo o que achei… me debrucei pra frente e comecei a beijar a boca dele com tesão rebolando em seu cacete, a posição ficou maravilhosa, seu em pedir ele colocou as mãos na minha cintura, curti esse beijo por alguns minutos, levantei minha coluna e me apoiei nos pés, agora eu ia socar forte, comecei a pular no pau dele, minha bunda fazia barulho quando batia nele e meu pau chacoalhava, ele ficou de olho fechado com as mãos nos meus joelhos, começou a acelerar a respiração e apertar meus joelhos com as mãos então parei…

– vc vai gozar?
– tava quase….
– quando vc for gozar quero que vc pegue meu pau e toque uma punheta como se fosse seu pau, eu tb to quase gozando, então vamos gozar juntos, depois no banho vc lava sua barriga, mas não pare até eu gozar tb, blz?
– blz. Ele respondeu.

Ele então se apoiou nos joelhos, apoiou minhas mãos ao lado dos meus ombros e começou a quicar bem gostoso, nem rápido, nem devagar. Ficou ali recebendo o pau dele na  bunda e olhando pros seus olhos fechados e boca fechada, logo ele começou a respirar mais forte de novo, começou a apertar minha cintura, com medo dele esquecer tirei a mão direita dele e levei até o pau, ele segurou com força e começou a punhetar, eu ia gozar!

Ele começou a gemer e vi que ele também ia! Fechei os olhos com força ouvindo meus gemidos com o dele. Ao mesmo tempo que comecei a sentir seu pau pulsando mais  eu comecei a gozar, comecei a perder o controle das pernas mas me esforcei pra não prejudicar a gozada dele e continuei deitado…

Nossos gemidos já estavam altos…Eu posso garantir, sem medo de errar, nunca soltei tanta porra e gozei por tanto tempo como naquele dia, quando esvaziei joguei meu corpo em cima do dele pra descansar, os dois muito ofegantes, conseguia sentir o coração dele disparado no meu peito e com certeza ele tb sentia o meu, sentia seu pau amolecendo dentro do meu cu, fiquei ali exausto até seu pau sair sozinho, sai de cima dele e como ele tava inteiro lambuzado fui até o banheiro buscar papel pra tirar o excesso antes dele se levantar pra tomar banho.

Enquanto ele tomava banho sentei na privada pra ver se saia alguma coisa Mas não saiu nada, ele ainda não gozava, outro dia vi que quando ele gozava só saia uma porra ralinha, muito pouco… olhei no relógio eram 21:40 tínhamos tempo, tudo saiu perfeitamente….

 


Contos eroticos relacionados

Relatos de contos eroticos com fotos

2 comentários para “Comi o irmão gay de minha esposa e descobri um prazer incrível

  1. Adal • 1 de maio de 2019

    Passivos de Salvador de 18 a 25 meu zap xxxxxxx sou ativo

  2. Adal • 1 de maio de 2019

    Sou ativo procuro passivo de Salvador de 18 a 25 meu zap xxxxxxx sou ativo

Deixe seu comentário

Meus contos eroticos é o melhor site de relatos eróticos da internet. Sempre com os contos mais picantes e cheios de sensualidade. Aqui tem um acervo de histórias reais sobre sexo, para todos os gostos. Tem contos pornô gay, hétero, fetiche, corno, coroas e muito mais. O meu contos eróticos é atualizado diariamente, trazendo para os leitores, o melhor em conteúdo totalmente grátis para você soltar a imaginação e curtir muito prazer com cada relato real contado aqui. Você pode compartilhar com a gente o seu conto, basta clicar no link e colocar a criatividade em prática, contemplando os leitores com suas experiências sexuais mais safadas.
© 2019 - Meus Contos Eróticos
- -

Online porn video at mobile phone


meus fetiches contoscontos eroticos veridicosconto erotico traiçãonovinhas contoscontos eroticos com novinhacontos eróticos com sograscontos eroticos primacontos eróticos velhocontos eróticos novinhascontos amadorescontos de sexoscontos eroticos com a cunhadaconyos eróticossexo com empregadasconto erotico travesticontos eroticos com vizinhacontos eroticos secretariacontos eroticos cucontos e relatos sexuaisesposa e travestidei pro meu filhocontos eroticos travestiscontos eróticos casadasdei pro meu tiosexo anal contoscontos eróticos com sograhistorias de incestosconto erotico sogracontos mulher casadacomi a enteadaesposa e travestiwww.contos eroticos.comincesto contosconto erotico pedreirocontos com novinhasconto virgemcontos eroticos sexocontos sogramelhores contos eroticosconto eroticos de incestocontos exóticoscasa dos contos eroticoscontos eroticos filhacontos eróticos travestisconto erotico com velhoconto erotico gostosocontos eróticos de casadashistoria de sexo incestocontos eróticos ninfetaconto erotico analcontos de travestiscontos eróticos de cornoscontos eroticos irmacontos eroticos incesto maeincesto contoscontos eroticos de ninfetascontos de enteadacontos transexcontos eroticos de insestocontos com travestisco tos eroticoscontos eroticos de cornoscontos de coroasnovos contos de incestocontos erotivosconto erotico sexo analcontos erroticoscontos eroticos com maecontos eróticos casaiscontos eróticos de mulherescontos eroticos milfcontos roticoscontos eroticos com vizinhavelhos e novinhascontos eroticos com novinhacontos eroticos de sexo a tresconto erótico pai e filhaconto erótico traiçãoconto erotico incesto pai e filhacontod eróticoscontos pornocontos cornoscontos eroticos sexo a tresrelatos de sexo anal